Conheça campanhas de arrecadação para apoiar as vítimas da Pandemia

Tempo de leitura: 6 minutos

Durante o período de quarentena, causado pelo Covid19, nossa solidariedade ficou ainda mais necessária. A Pandemia deixou muita gente passando por necessidades econômicas, além dos riscos da doença.

Felizmente, uma série de mobilizações têm acontecido para apoiar as pessoas mais vulneráveis.

Em algumas é possível contribuir com valores, em outras, a contribuição pode se dar, também, através de serviços. Em todas, podemos ajudar, divulgando.

Se você está procurando alguma iniciativa para fazer parte, separamos algumas dicas para você que temos divulgado em nossas redes sociais.

Livro Xavante tem venda com todo o valor arrecadado voltado para a aldeia Xavante de Etenhiritipá!

Valor arrecadado será revertido para a aldeia Xavante de Etenhiritipá!

O LIVRO “XAVANTE” traz imagens belíssimas da aldeia Etenhiritipá, captadas pelos alunos do Fotógrafo Valdemir Cunha, durante uma viagem com workshop de fotografia, realizada em 2019.

O livro está à venda com os valores todos revertidos para a aldeia que enfrenta com dificuldades este período de quarentena.

Quem quiser ter este livro lindo e ainda ajudar o Povo Xavante, pode acessar https://www.editoraorigem.com.br/product-page/xavante

Os alunos do fotógrafo Valdemir Cunha que realizaram este livro e esta iniciativa solidária são: Christophe Duc, Edu Mello, Gabriela Ito Sakurai, Gisele Porcaro, Gisselly Sivani, Jô Gonçalves, Mariana Almada e Mário Matias.

A organização da viagem com workshop foi feita em parceria pela Ambiental Turismo e a Origem Expedições.

Ajude os monitores ambientais do PETAR

Recursos serão usados para a compra de cestas básicas, materiais de limpeza e higiene

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-os-monitores-ambientais-do-petar

Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira – PETAR, está fechado em razão da pandemia de corona vírus e as medidas de isolamento geraram um grande impacto na renda daqueles que vivem diretamente ou indiretamente das atividades turísticas nesta região que abriga o maior remanescente de Mata Atlântica do país.

A Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) e o Centro Excursionista Universitário (CEU), lançaram uma campanha de arrecadação de recursos financeiros para a compra de cestas básicas, materiais de limpeza e higiene aos monitores ambientais, no intuito de amenizar, ainda que de forma limitada, as dificuldades das pessoas que lutam diuturnamente pela preservação da Mata Atlântica.

Povo Ashaninka lança campanha para ajudar as comunidades vizinhas a enfrentar a pandemia

Retirados desde o início da Pandemia a sua terra Indígena Kampa, a etnia Ashaninka lançou uma campanha de financiamento para estimular a produção de alimentos nas comunidades vizinhas. Suas terras são isoladas das demais comunidades da região pelo Rio Amônia, no Acre.

“Nós podemos viver três, quatro, cinco anos dentro da floresta, em nosso território, até a pandemia passar, porque nos preparamos para esse momento. Mas se os nossos vizinhos do entorno não estiverem bem, nós também não estaremos.”

A campanha Ashaninka Pelos Povos da Floresta prevê arrecadar R$ 1 milhão para distribuir alimentos, ferramentas de plantio e materiais de pesca para 1,8 mil famílias da região, incluindo indígenas e não-indígenas.

Instituto Socioambiental reúne lista com diversas campanhas de apoio

Página criada pelo Instituto Socioambiental (ISA) agrega Iniciativas em todo o Brasil que reúnem doações de produtos e fundos para comunidades e aldeias, mais vulneráveis a infecções respiratórias.

Até essa nossa publicação, a página que conta com indicações de leitores, já contava com 38 campanhas. Quer ajudar?

Acesse a página, conheça as iniciativas e escolha para quem contribuir.

https://www.socioambiental.org/pt-br/noticias-socioambientais/saiba-como-ajudar-indigenas-e-povos-da-floresta-no-combate-ao-coronavirus

E MAIS…

O site Covid-19 e os Povos Indígenas, criado pelo ISA, também é uma fonte muito confiável de informação.

Assine a Petição #ForaGarimpoForaCovid

#Ajude1Freela

@Ajude1Freela é uma iniciativa que busca apoiar profissionais do setor de Eventos.

Com a quarentena, muita gente desta área ficou sem trabalho e enfrenta enormes dificuldades.

São carregadores, equipe de limpeza, montadores, seguranças, brigadistas, recepcionistas, produtores, cenotécnicos, técnicos, diretores de arte, entre tantos outros da cadeia produtiva de eventos que estão sem trabalho por conta do Covid19.

Desde que começou a atuar em março, o #Ajude1Freela já apoiou mais de 1500 famílias.

Além de CESTAS BÁSICAS, esses profissionais recebem AUXÍLIO PSICOLÓGICO, ORIENTAÇÕES JURÍDICAS para negociar abatimentos em contas de luz, água, entre outras…

VOCÊ PODE COLABORAR com valores, oferecendo seus serviços ou divulgando a iniciativa para outras pessoas.

Você também pode INDICAR o #Ajude1Freela para profissionais da área que possam estar precisando da ajuda desta iniciativa.

Mais informações você encontra em https://ajude1freela.com.br/

SP Cidade Solidária

Entregas podem ser feitas através de um Drive-Thru

Se você está em condições de fazer doações e busca um lugar para isso, o Programa Cidade Solidária recebe doações de cestas de alimentos, higiene e limpeza em diversos pontos espalhados pela capital paulista.

A iniciativa é uma parceria entre Prefeitura de São Paulo e entidades da sociedade civil.

As cestas serão entregues a famílias que vivem em situação de extrema vulnerabilidade na cidade.

Se não puder ajudar com as cestas, ajude divulgando.

As entregas acontecem por meio de um sistema de drive-thru solidário.

Para conferir os pontos de entrega e horário, acesse: https://www.spcidadesolidaria.org/

Fotógrafos pelo Xingu

Contribua com a distribuição de medicamentos, produtos de higiene e mantimentos ao Parque Indígena do Xingu.

O valor arrecadado será destinado à Associação Terra Indígena do Xingu (ATIX)

A covid-19 chegou ao Território Indígena do. Os povos indígenas são especialmente vulneráveis, porque têm quadros de imunidade mais baixa e pouco acesso a serviços de saúde e hospitais. A doença apresenta especial risco aos anciãos, que são os guardiões dos saberes e tradições de seus povos. A quarentena dos povos do Xingu está provocando o desabastecimento de alimentos, remédios e outros itens necessários para a sobrevivência de diversas comunidades.

Para apoiar esses povos, o Instituto BEI, em parceria com a Fundação Tide Setúbal, reuniu os fotógrafos Renato Soares, Milton Guran, Rogério Reis, Sérgio Ranalli, Delfim Martins, Rafael Costa, Luciola Zvarick e Ricardo Teles que disponibilizaram fotografias suas realizadas no Território Indígena do Xingu como forma de recompensa para doações. A BEI Editora também disponibilizou alguns livros de seu portfólio.

O valor arrecadado será integralmente destinado à Associação Terra Indígena do Xingu (ATIX)

Para saber mais e contribuir, acesse: https://www.catarse.me/apoio_ao_xingu